Maior parte dos brasileiros prefere não trabalhar em casa, diz pesquisa

Data

Estudo da Consumoteca destaca que 73% dos trabalhadores sentem falta do ambiente corporativo; sentimento abre caminho para coworking.

Se no começo da pandemia a ideia do home office parecia promissora e mais cômoda, hoje, ela já não é mais vista dessa forma. Uma pesquisa realizada pela consultoria Consumoteca destaca que 73% dos brasileiros preferem não trabalhar em casa por tempo integral. Entre os motivos para o descontentamento estão o aumento nas contas de luz e internet, o uso de tecnologias pessoais e a falta de diferenciação entre os espaços de lazer e de trabalho.

Uma das alternativas para evitar a insatisfação é possibilitar a jornada híbrida. Ainda assim, muitas empresas se desfizeram dos espaços físicos como forma de economia. É nesse cenário que o coworking se encaixa.

Uma parte das empresas já anunciou o retorno não presencial para 100% da equipe. Assim, a ideia de compartilhar um ambiente de trabalho se tornou mais promissora. Hoje, o Brasil conta com quase 1500 espaços em 26 estados. A pesquisa da Consumoteca vai ao encontro do aumento dos coworkings justamente pela mudança de hábito. Além da possibilidade de interagir com outras pessoas e ambientar-se em um espaço profissional, o coworking também promove a diferenciação da casa e do trabalho.

A adoção ao coworking pode ser feita pelo próprio colaborador, por conta própria. Contudo, há também a possibilidade de aluguel do espaço por parte das empresas. Há espaços que promovem aluguel de salas ou mesas para um grupo de trabalhadores ou para corporações. A proposta, além de mais barata, tem um contrato mais flexível.

Fonte: https://www.consumidormoderno.com.br/

Mais
notícias

× Entre em contato AGORA!