Texto sobre Growth Hacking postado no Medium neste link

Quem me conhece sabe o quanto eu me preocupo de expor minha opinião sobre algo que eu não domino. E exatamente por esse motivo eu criei o Webinectar. Eu aprendo com o convidado, e deixo o anonimato no assunto. Mas nem sempre funciona assim…
Em todo lugar que eu entro, vejo novos especialistas em vendas e em marketing que conhecem uma receita que vão me deixar milionário. O meu grande problema com isso é que cada vez mais as pessoas correm do básico. Hacks e mais hacks, para gerar conexões extraordinárias… Ferramentas que deixam as propostas lindas, gráficos altamente bonitos, conjunto de ferramentas super robustas, treinamentos e mais treinamentos.
Se você é um profissional que já trabalhou em alta performance mais de 5 anos em uma só atividade, você vai me entender.

Growth hacking que aprendi na vida

Vi meus pais trabalharem uma vida toda em uma única profissão, e muitas outras pessoas vivendo nesse formato. E há uns 5 ou 6 anos atrás eu tentava me imaginar depois de 10 ou 15 anos na mesma profissão… E tentava me projetar numa imagem que eu julgava ser de “sucesso”. Até que um dia, vi uma palestra motivacional de um mega profissional graduado, que o mundo caminha para uma mudança de ótica nas profissões, onde um profissional de Social Media não existia há alguns anos atrás, assim como a profissão de cobrador de ônibus deixou de existir de uns anos pra cá… Ele usou uma ancoragem de uma Lei de algum nome gringo bonito para dizer que a velocidade em que as profissões acabam está aumentando assim como a velocidade em que nascem outras(Ou você lembra de algum motorista de aplicativo na sua infância?). Se eu te falasse que se chama Lei de Yousseff, você provavelmente acreditaria, né? E é bem assim que me sinto… Daqui a pouco te explico o porquê.
Eu percebi que temos duas formas de construir autoridade em um determinado assunto:
1 — Eu sou de alta performance há mais de 5 anos em uma profissão.
e/ou
2 — Eu encontrei caminhos de crescer profissionalmente no mesmo cargo (acima), mas abandonei ele pra começar a ensinar outras pessoas.
Ou seja, muitas pessoas que estão te ensinando algo na internet, não entregaram a metade do que você mesmo já entregou. Tomando muito cuidado e respeitando a todos, eu acredito que sempre podemos aprender com qualquer pessoa. Mas nesse mesmo cuidado eu gostaria de receber o respeito de não ver coisas que são BÁSICAS sendo vendidas como Growth hacking porque estão em inglês.

O Coaching e o Growth Hacking

A democratização dos conteúdos não podem acontecer com tamanho charlatanismo… Eu tenho bom filtro para não sair comprando cursos que promovem isso, mas vejo um terrorismo enorme na cabeça do empresariado “tradicional” achando que amanhã vai nascer um novo Zuckerberg numa garagem e matar o seu produto. Amigo… Isso realmente pode acontecer, mas nada vai matar a sua história e como você chegou até aí, fazendo exatamente o que aprendeu a fazer. Com toda certeza, você precisa melhorar a cada dia(e provavelmente já vem fazendo isso, se não, teria morrido no caminho), mas vá com calma e valide mais o filtro de quem você compra.
Eu tentaria pregar uma democracia na educação por mais compromisso no resultado, e não por tanta ênfase em vender um treinamento sem se preocupar em nada com o que se vai entregar para o comprador. O começo disso nasceu nesses últimos dias quando o Instagram retirou as curtidas dos posts.
Lembra da Lei de Youssef… Ela não existe, e nunca existiu, e eu usei esse nome pra gerar confiança e agregar valor no meu discurso. E quero aqui registrar o cuidado que eu tenho em não banalizar meu discurso em termos que realmente mudam o conceito de uma empresa… Customer Success, Inbound Marketing, e vários outros nomes realmente não existe tradução. Mas existe uma grande maioria de termos embedados no nome Growth Hacking que se você perguntar, entender e analisar provavelmente já viu o conteúdo em algum lugar e até usou o produto.

Dica de Growth Hacking…

Quero, primeiramente, deixar nesse post uma das melhores dicas de growth hacking que você vai ler na vida:

— Faça o ÓBVIO.

Certamente ele não está sendo monitorado pois existe um vírus nas equipes comerciais preocupadas em hackear resultados a todo custo, e esquecendo de fazer o ÓBVIO. Ligar muito, documentar tudo, motivar o time, cobrar o time, contratar corretamente e empoderar o vendedor.
Do mesmo jeito que um pipeline afogado de leads perdoa vários pecados de vendas… Um grande volume de erros em vendas, é mais valioso do que um baixo volume de acertos. Vendedores dão a volta por cima a todo tempo em várias esferas da sua vida.
O simples, o óbvio, o básico pode te dar um resultado incrível por apenas ZERO reais.
Faço um parêntese aos que estão fazendo o básico(ou óbvio bem feito)… Por favor desconsidere o meu texto e me perdoem. Mas para que mesmo assim eu deixe uma provocação. Nosso saudoso e incomparável Ayrton Senna, que foi provavelmente a maior referência de atleta da história do Brasil, falava algo que não envolve nenhuma palavra em inglês com pitadas de marketing, leia:
No que diz respeito ao empenho, ao compromisso, ao esforço, à dedicação, não existe meio termo. Ou você faz uma coisa bem feita ou não faz.

Portanto, existe sim Growth Hacking, ciência, termos, cursos, melhorias, e coisas incríveis que podem potencializar suas vendas e seu negócio… Mas, afinal, o que vai te dar necessidade e/ou demanda pra isso é a sua capacidade de fazer O BÁSICO. Sem o básico, o óbvio e o simples, você é a apenas um aventureiro.

Deixe um comentário

× Entre em contato AGORA!